“Dos filhos”, A. Pedro Ribeiro

SEDIMENTO DE PALAVRAS

“Não entendo como há editoras que me rejeitam. A minha forma de escrever é original. Já o disse. Não sou o melhor seleccionador. Mas não faço outra coisa senão escrever…e ler. Vivo da escrita. Vivo literalmente da escrita. Os meus textos são todos meus filhos. À falta de amigos e de amigas tenho os meus filhos. Uns ficam. Outros são rejeitados. Outros ainda ressuscitam. Mas são todos meus filhos. Amo-os. Nascem de mim. Sou o criador. A mãe que os pare. E o criador é livre e feliz.”

– post do poeta A. Pedro Ribeiro no Trip na Arcada.

2 thoughts on ““Dos filhos”, A. Pedro Ribeiro

  1. Pedro: as editoras não te publicam porque sofrem de pseudo-intelectualite crónica. Esta doença está disseminada por todo o panorama artistico Portugês. Escrever meia dúzia de patacoadas sem sentido,adornadas e embrulhadas em vocabulário erudito dá direito a prémios literários. Também dá jeito aparecer em eventos poéticos V.I:P. e apertar a mão a colunistas dos jornais e revistas de referêcia. Mas eu conheço-te! Tu não te vendes amigo.Força! Abraço- vitor Carvalhais

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s