Agarrar o poema sem que a cauda lhe caia

SEDIMENTO DE PALAVRAS

“A poesia acabou por se revelar uma amante extraordinária. Porque a poesia é forma, e o namoro e a sedução da forma é a regra do jogo. (…) Escrever um poema é como tentar apanhar um lagarto sem que lhe caia a cauda. Só havia um miúdo, na minha escola, capaz de apanhar um lagarto intacto. Ninguém sabia como ele conseguia fazer aquilo. (…) Esta parece-me ser a melhor analogia que lhe posso dar.”

Lawrence Durrell in Entrevistas da Paris Review, Tinta da China Edições. 2009

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s