“Poetas e consciência”, por Jorge Colaço

SEDIMENTO DE PALAVRAS

“Sim, posso estar de acordo com Saint-John Perse quando disse que ao poeta basta ser a má consciência do seu tempo, mas desconfio dos que deliberadamente pretendem sê-lo, sobretudo porque têm em geral demasiada boa consciência de si próprios.”

– retirado do blogue  Retentiva.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s