Feiticismo, Margarida Vale de Gato

SUGESTÕES DE LEITURA

“É verdade que quando eu contigo/

me inclinava o mundo por instantes/

recuava. Entreguei-me a ti aberta/

como nunca porque querias ver-me, /

e já então pelos teus olhos eu/

gozava. Quando, pois, te evaporaste/

com uma espantosa fixidez/

mandei o espírito buscar-te o corpo/

e amar nele e tornar-se um outro/

que atravessava as tuas mulheres./

Investi a crueza que evitei/

connosco:  saciei-me assim de início/

marcando até algumas, contra/

a evidência de que entre dois/

o mais violento não tem testemunhas./

Tanto me apliquei que cheguei a crer/

que tu retribuías. Iludi-me/

na complacência de, tomando outros,/

me devolver também a ti. Porém,/

foi-me custando mais a cada vez/

voltar.”

Margarida Vale de Gato, Mulher ao mar, Mariposa Azual

Leiam, leiam, leiam!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s