Toda a gente sabe que só é verdade

SEDIMENTO DE PALAVRAS

zhangxiangxitvsets4se der na televisão. Toda a gente sabe.

 

– trabalho de Zhang Xiangxi.

Toda a gente sabe que se escreve

SEDIMENTO DE PALAVRAS

anjabuhrerdreamedsoulsstreet1

mais para ultrapassar a vida do que a morte. Toda a gente sabe.

– ver o trabalho de Anja Bührer.

Toda a gente sabe que não se pode estar

SEDIMENTO DE PALAVRAS

american gothicem dois sítios ao mesmo tempo. Sobretudo, se se tratarem de diferentes partes de nós. Toda a gente sabe.

– Grant Wood

Toda a gente sabe que as ideias

SEDIMENTO DE PALAVRAS

fotografia de Joy St Clairesecam mais depressa ao sol do que os cabelos. Toda a gente sabe.

– fotografia de Joy St Claire.

Toda a gente sabe que, tantas vezes, é melhor

SEDIMENTO DE PALAVRAS

AlexisMire1estar dentro do que se pensa do que pensar out of the box. Toda a gente sabe.

– trabalho de Alexis Mire.

Toda a gente sabe que 8 gorilas

SEDIMENTO DE PALAVRAS

http://www.flickr.com/photos/marcusmb/podiam fazer-nos voar. Mas era preciso muito treino. Toda a gente sabe.

– fotografia de Marcus Moller.

Toda a gente sabe que parte do que tu és

SEDIMENTO DE PALAVRAS

Carra Sykesé memória que não é tua mas que te pertence. Como ela. Toda a gente sabe.

– trabalho de Carra Sykes.

Toda a gente sabe que se apanhas uma nuvem

SEDIMENTO DE PALAVRAS

LaurentMilletela te persegue até te fazer chover. Toda a gente sabe.

– trabalho de Laurent Millet.

Toda a gente sabe que entre a Vida

SEDIMENTO DE PALAVRAS

Laurent Laveder

e a Arte há sempre uma moldura. Toda a gente sabe.

– fotografia de Laurent Laveder aqui.

Toda a gente sabe que não é possível

SEDIMENTO DE PALAVRAS

registar a fórmula do amor, só inventá-la. Toda a gente sabe.

– quadro matemático em Stanford, da série Documenting The Mathematical Scribbles of Geniuses

Toda a gente sabe que o segredo

SEDIMENTO DE PALAVRAS

 

é a alma do negócio. Toda a gente sabe.

– a imagem de Amira Fritz integra uma exposição divulgada aqui.

Toda a gente sabe que o vento

SEDIMENTO DE PALAVRAS

não toca à campainha. Bate à porta levemente, como a chuva. Toda a gente sabe.

– imagem retirada daqui.

imagens da apresentação de “nunca o mar”, em barcelos

APRESENTAÇÕES DE LIVROS

imagens da apresentação de “nunca o mar”, em cerveira

APRESENTAÇÕES DE LIVROS

 

Todas as fotografias estão disponíveis aqui.

toda a gente sabe que os desejos

MOTE PARA UM BOM LIVRO

não se podem contar a ninguém, senão a magia esvazia, ficam pedaços de plástico sem ar para subir, ali aos tombos, e não se realizam. Toda a gente sabe.

– retirado daqui

dedo no gatilho

INTERVENÇÕES

Quem? A Miss K, não há que enganar. Quem ainda não conhece que passe os olhinhos por isto, que se vão divertir a reconhecer espaços, a rir dos sinais de trânsito, a revisitar ruas e amigos.

Há coisas sticky com’ó caramelo…